Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/9780
Título: O Musicoterapeuta como assessor para a inclusão: estudo de acompanhamento de uma docente de música do 3.º ciclo, para práticas inclusivas
Autor: Moreira, Dulce Margarida
Orientador: Santos, Miguel Augusto Meneses da Silva
Palavras-chave: Musicoterapia
Inclusão
Flexibilização curricular
Adequações curriculares
Music therapy
Inclusion
Curriculum flexibility
Curricular adaptations
Data de Defesa: 2013
Resumo: “Musicoterapia como assessoria para a inclusão” trata-se de um estudo que propõe uma assessoria sistematizada de uma docente de música do 3.º ciclo para práticas inclusivas na sua disciplina, numa Escola Sede Agrupamento do distrito do Porto. A musicoterapia assume-se como uma área que, partindo de uma linguagem terapêutica e educativa, promove o desenvolvimento de uma estrutura para a inclusão de alunos de uma turma do 3.º ciclo e alunos de uma Unidade de Apoio à Multideficiência, na disciplina de música, respeitando o programa curricular da mesma e a diversidade de aprendizagem de todos os alunos. Incluir é muito mais do que colocar alunos com Necessidades Educativas Especiais na sala de aula. Trata-se de um processo de carácter contínuo que exige planeamento, sistematização, acompanhamento e avaliação. A metodologia utilizada foi de âmbito qualitativo com método de investigação-acção. As técnicas de obtenção de resultados foram: Observação participante, filmagens, diário de campo, questionários e entrevistas. A amostra foi composta por 25 alunos de uma turma do 3.º ciclo e alunos da Unidade de Apoio especializado à Multideficiência. Os resultados demonstram a importância do musicoterapeuta como assessor para inclusão reflectindo-se numa melhoria das adequações curriculares, na sala de aula, por parte da docente de música. Observou-se que perante a diversidade de aprendizagens os alunos obtêm mais experiências do âmbito social, cultural e curricular potenciando a riqueza do seu conhecimento intrapessoal e interpessoal. As unidades de apoio especializado devem ser apenas centros de recursos com rampa de lançamento para uma inclusão qualitativa na sala de aula. Os técnicos devem fomentar o apoio aos docentes de educação especial e de ensino regular pois estes encontram no seu trabalho individualizado ou colectivo um conhecimento aprofundado sobre os alunos, possibilitando por último o desenvolvimento de estratégias de apoio à inclusão.
"Music Therapy as support for inclusion" is a study that proposes a systematic methodology to support a music teacher in defining inclusion practices to her classroom of a key stage 3 at a school headquarters group from the district of Porto. Music therapy is defined as an area that, starting from a therapeutic and educational language, promotes the development of a framework for the inclusion of students in a Key Stage 3 class with students from a multiple disabilities support unit, using music’s lectures, while following the regular study programme and at the same time respecting the different learning progress of each student. Inclusion is much more than placing students with special need´s in the classroom. It is a process that requires continuous planning, organization, monitoring and evaluation . The methodology implemented follows a qualitative framework with research-action activities. The techniques implemented to gather the results are as follows : observation with participation, filming, field diary, questionnaires and interviews. The sample is composed by 25 students in a key stage 3 class and the students from the support unit specialized in multiple disabilities. The results discussed have shown the importance of the music therapy as an effective support for students inclusion which was reflected in an improvement of curricular performance, participation in the lecture classroom and interaction with the music teacher. Moreover, it was observed that given the diversity of learning capabilities students get more cultural, curricular and social interaction enhancing the their intra-personal and inter-personal experiences. Specialized support units could only be used as a initial resource centres for qualitative inclusion in the classroom. Support units assistants must enable their assistance to the teachers in both special education and regular education groups as they gather a deep knowledge about the student class both individually and collectively, allowing the development of improved strategies to support inclusion.
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/9780
Designação: MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL: MULTIDEFICIÊNCIA E PROBLEMAS DE COGNIÇÃO
Aparece nas colecções:ESE - DPRM - Educação Especial: Multideficiência e Problemas de Cognição

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_DulceMoreira_2013.pdf1,89 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.