Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/872
Título: Medição da satisfação profissional dos técnicos de farmácia e farmacêuticos do norte de Portugal
Autor: Sousa, Joana Marisela
Orientador: Cruz, Agostinho
Martins, Helena
Palavras-chave: Satisfação profissional
JSS
Técnicos de Farmácia
Farmacêuticos
Farmácia hospitalar
Farmácia de oficina
Job satisfaction
Pharmacy technicians
Pharmacists
Hospital and community pharmacy
Data de Defesa: 2011
Editora: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto
Resumo: Vários trabalhos têm associado a Satisfação Profissional (SP) a variáveis como a produtividade, o absentismo e o turnover (McPherson, Davies, Bewick, & Bhudia, 1999, citado em Ferguson, Ashcroft, & Hassell, 2011; Mott, 2000; Judge, Thoresen, Bono, & Patton, 2001) indicando ser importante o estudo da problemática nos Técnicos de Farmácia e Farmacêuticos, uma vez que pode condicionar a prestação de cuidados de saúde. Pretendeu-se medir e comparar a SP entre Técnicos de Farmácia e Farmacêuticos e entre Farmácia Hospitalar e de Oficina do Norte de Portugal. Verificou-se a relação entre a SP e: idade, género, grau de formação na área da Farmácia, experiência profissional (em anos) e experiência profissional no local de trabalho (em anos). Utilizou-se a escala Job Satisfaction Survey (JSS) (Spector, 1985), tendo sido adaptada e validada para o contexto. A JSS e subescalas revelaram correlação de carácter forte com a escala e subescalas da Minnesota Satisfaction Questionnaire-Short version (MSQ) de Weiss, Dawis, England, & Lofquist (1967). Contudo, apenas foi identificada validade convergente entre algumas das subescalas da JSS com a MSQ e respectivas subescalas, o que sugere que ambas (JSS e MSQ) medem construtos que estão intimamente associados mas não medem exactamente o mesmo. A amostra é constituída por 291 profissionais que responderam ao instrumento entre Março de 2010 e Abril de 2011. Foram encontrados níveis de SP positivos excepto para a Satisfação com o superior hierárquico directo (média inferior a 3) e Satisfação com procedimentos de trabalho e comunicação na organização (valor ambivalente entre 3 e 4). Diferenças foram encontradas entre Farmácia de Oficina e Hospitalar e entre Técnicos de Farmácia e Farmacêuticos, sendo revelados níveis de Satisfação mais elevados para os Técnicos de Farmácia. Também foram encontradas diferenças para o género (SP global e subescalas) e para o nível de formação em Farmácia (algumas subescalas). A idade, a experiência profissional e a experiência profissional no local de trabalho revelaram associação positiva com a SP global e com algumas das subescalas. A lacuna existente neste tipo de estudos para os profissionais de saúde e nomeadamente dos Técnicos de Farmácia e Farmacêuticos em Portugal tornam este estudo relevante e inovador, lançando novas pistas e direccionando novas investigações.
Several studies have linked job satisfaction (JS) with variables such as productivity, absenteeism and turnover (McPherson, Davies, Bewick, & Bhudia, 1999, cit in Ferguson, Ashcroft, & Hassell, 2011; Mott, 2000; Judge, Thoresen, Bono, & Patton, 2001) indicating that is important to study the problematic among Pharmacy Technicians and Pharmacists, as it may affect the provision of health care. We sought measure and compare JS between Pharmacy Technicians and Pharmacists and between Hospital and Community Pharmacy in Northern Portugal. It was verified the relationship between the JS and: age, gender, level of training in Pharmacy, professional experience (in years) and professional experience in the workplace (in years). We used the scale Job Satisfaction Survey (JSS) (Spector, 1985), that has been adapted and validated for the context. JSS and subscales revealed strong correlation with the scale and subscales of the Minnesota Satisfaction Questionnaire-Short version (MSQ) by Weiss, Dawis, England, & Lofquist (1967). However, only convergent validity was found between some subscales of JSS and MSQ and respective subscales, suggesting that both (MSQ and JSS) measure constructs closely associated but do not measure exactly the same. The sample consisted of 291 professionals who responded to the instrument between March 2010 and April 2011. JS levels were found positive except for Satisfaction with the immediate supervisor (average less than 3) and Satisfaction with working procedures and communication in the organization (value ambivalent between 3 and 4). Differences were found between Community and Hospital Pharmacies and between Pharmacists and Pharmacy Technicians, and revealed higher levels of satisfaction for Pharmacy Technicians. Differences were also found for gender (overall JS and subscales) and the level of training in pharmacy (some of the subscales). Age, experience and professional experience in the workplace showed a positive association with the overall JS and some of the subscales. The gap in this type of training for healthcare professionals and in particular the Pharmacy Technicians and Pharmacists in Portugal make this study relevant and innovative, introducing new tracks and directing further research.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/872
Aparece nas colecções:ESTSP - DM - Aconselhamento e Informação em Farmácia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_JoanaSousa_2011.pdf1,15 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.