Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/8163
Título: Os Modos de Entrada em Mercados Internacionais das Empresas da Região do Tâmega e Sousa
Autor: Queirós, Tânia Sofia Ribeiro
Orientador: Braga, Vítor
Palavras-chave: Internacionalização
Modelo de Uppsala,
Teoria das Redes
Motivações e Barreiras à internacionalização
Modos de entrada,
Região do Tâmega e Sousa
Data de Defesa: 2015
Resumo: A internacionalização das empresas tem vindo a assumir um papel preponderante, não só na vida das próprias empresas, mas também no desenvolvimento socioeconómico das economias. Como tal, nesta dissertação procura-se analisar alguns aspetos relacionados com o processo de internacionalização das empresas, em particular das empresas instaladas na região do Tâmega e Sousa. Para esta região, o estudo deste tema revela-se de extrema importância uma vez que a investigação sobre este tema aplicada a esta região é limitada, o que pode representar um instrumento de apoio e orientação às empresas sobre como entrar em mercados internacionais e que desafios podem vir a enfrentar. A metodologia adotada neste estudo incluiu a elaboração de um inquérito dirigido às empresas desta região, onde se recolheram 184 respostas válidas. Os principais resultados obtidos permitiram aferir que a maioria das empresas da região do Tâmega e Sousa seguiram o modelo de internacionalização preconizado pela Escola de Uppsala, quer na preferência por modos de entrada mais fáceis e menos arriscados no início da sua internacionalização, tais como, exportação direta e indireta através de intermediários, quer pela entrada em mercados externos psiquicamente mais próximos (países comunitários). Também confirma-se que o quadro teórico criado pela Teoria das Redes tem uma considerável implementação empírica nesta região. Relativamente às motivações e às barreiras à internacionalização percebidas pelas empresas com vocação internacional, conclui-se que são explicadas pelos seguintes fatores: motivos de natureza económica (rentabilidade e eficiência) e motivos relacionados com mercados e crescimento; barreiras de natureza política e de marketing, bem como de natureza institucional (informação e recursos). Os fatores que explicam a estrutura de correlações entre as barreiras à internacionalização percebidas pelas empresas sem experiência internacional são: barreiras de conhecimento e informação e barreiras operacionais (custos e riscos).
The process of international entry has received much attention, not only within the entrepreneurial tissue, but also in the social and economic development of most economies. In line with such importance, this dissertation seeks to analyse some aspects related to the process of business international entry, particularly those located in the region of the Tâmega and Sousa. The rationale for conducting this research was based on the scarcity of similar studies applied to the region under investigation. To that extent, we aim to contribute with insights that may support the local business in their process of international entry. The methodology adopted in this study included the preparation of a survey administered to the local companies, and 184 valid responses were collected. The results obtained suggest that most companies in the Tâmega and Sousa region followed an internationalization process as described by the model developed by the school of Uppsala. This is confirmed by the businesses’ preference for easier and less risky entry modes at the early stages of the internationalization process, such as direct and indirect export through intermediaries, or selecting geographically closer markets into foreign markets. It was also possible to confirm that the theoretical framework of the Theory of Networks could be validated for this regional context. In what concerns the motivations to international entry, perceived by companies with an international presence, the factors were grouped into economic factors (profitability and efficiency) and factors associated to markets and growth. The perceived barriers could be grouped into political and marketing barriers, as well as institutional factors (information and resources). The factors that explain the structure of correlations between the perceived barriers to international entry by firms lacking international experience are: knowledge and information barriers and operational barriers (cost and risk).
Descrição: Dissertação de Mestrado em Gestão e Internacionalização de Empresas
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/8163
Designação: Mestrado em Gestão e Internacionalização de Empresas
Aparece nas colecções:ESTGF - DM - Gestão e Internacionalização de Empresas

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_TaniaQueiros_MGIE_2014.pdfDM_TaniaQueiros_MGIE_20145,27 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.