Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/7894
Título: As empresas e a sua internacionalização
Outros títulos: o caso de três PME portuguesas
Autor: Pinto, Marlene Andreia da Rocha
Orientador: Pereira, Raquel Susana da Costa
Palavras-chave: Teorias de Internacionalização
PME
Estratégias, internacionalização
Internationalization theories
Internationalization
SME
Strategies
Data de Defesa: 2015
Resumo: O fenómeno da globalização propicia um vasto leque de novas oportunidades para os negócios e empresas em qualquer parte do mundo. No que concerne às Pequenas e Médias Empresas (PME), estas têm demonstrado um interesse crescente em internacionalizar-se. No caso específico de Portugal, a conjuntura económica que o país atravessa incentiva cada vez mais este tipo de empresas a reduzir a dependência que têm do mercado interno e a apostar mais no mercado além-fronteiras. O objetivo fundamental deste trabalho é analisar, compreender e explicar o processo de internacionalização das PME, especificamente o adotado por três PME portuguesas, e perceber de que forma abordam os mercados internacionais. Em particular, pretende-se obter resposta às seguintes questões: - Quais são as razões que motivam e influenciam o processo de internacionalização? - Que estratégias e modalidades escolhem? Que razões justificam essa escolha? - Que fatores de diferenciação possuem que lhes permitem competir nos mercados internacionais? Nesta investigação optou-se pela investigação qualitativa, utilizando o método do estudo de caso. A obtenção dos dados foi efetuada, fundamentalmente, através de entrevistas, com os principais responsáveis pelos processos de internacionalização, e complementada com informações genéricas diretamente disponibilizadas pelas empresas pelos respetivos sites, livros, revistas e jornais. Os resultados deste estudo indicam que alguns aspetos defendidos pelo modelo Uppsala são muito úteis para compreender o processo de internacionalização das PME, apesar de nenhuma das empresas seguir todos os passos descritos neste modelo. No entanto, também verificamos que de facto existem empresas que devido ao seu modelo de negócio, à forma como operam e ao carácter empreendedor do fundador da empresa, conseguem iniciar a sua expansão internacional no mesmo ano da sua origem. Tipicamente chamadas de Born Globals, estas empresas conseguem internacionalizar-se rapidamente e para mercados geograficamente dispersos, ao contrário daquilo que defende o modelo Uppsala. Nos casos em análise, a exportação é a estratégia e o modo de entrada preferido das PME para penetrarem nos mercados externos. Também ficou claro que as empresas procuram os mercados internacionais sobretudo por motivos de crescimento e de sobrevivência, tendo como principal justificação a exiguidade do mercado interno.
The phenomenon of globalization offers a wide range of new opportunities for businesses and companies in every part of the world. In what pertains to Small and Medium Enterprises (SME), these have shown an increasing interest in internationalizing. In the particular case of Portugal, the economic situation of the country has encouraged more and more of these companies to reduce their dependency on the internal market and to expand into foreign markets. The fundamental goal of the present work is to analyze, to understand and to explain the process of internationalization of SMEs, specifically the one adopted by three Portuguese SMEs, and to find out how they approach the international markets. Specifically, our goal is to be able to answer the following questions: - What are the factors that motivated and influenced the internationalization process? - Which strategies and methods were chosen? And which reasons justify that choice? - Which differentiating factors do the companies have that allow them to compete in the international markets? We opted for a qualitative research, using the case study as our method. The data were mostly obtained in interviews with the persons in charge of the internationalization process, and complemented with general information made directly available by the companies through websites, books, magazines and newspapers. The results of this study show that some aspects of the Uppsala model are extremely useful in understanding the internationalization process of SMEs, although none of the companies follows every step described in that model. However, it was also possible to verify that there are in fact companies which, due to their business model, the way they operate, and the entrepreneurialism of the founder, are able to begin their international expansion in the year of their inception. Usually called “Born Globals”, these companies internationalize rapidly and to geographically dispersed markets, diverging from the Uppsala model. In the cases under study, exporting is the preferred strategy and mode of entry in the external markets. It was also clearly shown that these companies seek international markets mainly for reasons of survival and growth, recognizing the limitations of the internal market.
Descrição: Dissertação de Mestrado apresentada ao Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto para a obtenção do grau de Mestre em Assessoria de Administração, sob orientação da Professora Doutora Raquel Susana da Costa Pereira
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/7894
Designação: Mestrado em Assessoria de Administração
Aparece nas colecções:ISCAP - DM - Assessoria de Administração

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Marlene_Pinto_AA_2015 (1).pdf1,09 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.