Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/6157
Título: Evolução hidrogeoquímica das águas sulfúreas de Entre-os-Rios: avaliação preliminar
Autor: Ferreira, Maria do Rosário Nogueira
Orientador: Afonso, Maria José
Palavras-chave: Hidrogeoquímica
Águas minerais sulfúreas
Entre‐Os‐Rios
NW de Portugal
Hydrogeochemistry
Sulphurous mineral waters
Data de Defesa: 2013
Resumo: O principal objectivo desta dissertação foi avaliar a evolução hidrogeoquímica das águas minerais de Entre‐os‐Rios, para uma melhor compreensão do modelo hidrogeológico conceptual deste sistema hidromineral. Desta forma, foram coligidos diversos dados hidroquímicos, quer das nascentes clássicas (Torre, Curveira, Ardias, Arcos Esquerda e Arcos Direita), quer do furo Barbeitos. Foram compiladas e analisadas oitenta análises hidroquímicas no período 1938‐2012, incluindo características organolépticas (cheiro, cor e turbidez), diversas propriedades físico-químicas (temperatura, pH, condutividade eléctrica, sulfuração, etc), os principais catiões e aniões (bicarbonato, fluoreto, sódio, lítio, etc) e os elementos vestigiários (chumbo, tungsténio, boro, etc). Além disso, foram integrados os dados históricos disponíveis de finais do século XIX e inícios do século XX. Foram igualmente reunidos e discutidos alguns dados isotópicos (oxigénio‐18, deutério e trítio). O recurso hidromineral de Entre‐os‐Rios está condicionado pela litologia e pelas condições tectónicas. As análises químicas revelaram que as águas minerais de Entre‐os‐Rios apresentam uma estabilidade química nos últimos 100 anos. Estas águas são orto‐ a hipertermais, fracamente mineralizadas, de reacção alcalina, sulfídricas, bicarbonatadas sódicas, carbonatadas e muito fluoretadas. Estas características são claramente distintas das águas normais da região. As águas de Entre‐os‐Rios são muito semelhantes às águas minerais de S. Vicente e, em diversos parâmetros, bastante diferentes das águas minerais das Caldas da Saúde. Os dados isotópicos permitiram concluir que as águas de Entre‐os‐Rios têm uma origem meteórica, com um tempo de residência longo no sistema aquífero, e que são, muito provavelmente, submodernas, com uma recarga anterior a 1952. Na região de Entre‐os‐Rios coexistem três sistemas aquíferos, um sistema granítico superficial, livre e um sistema livre a semi‐confinado, ambos com circulação de águas normais, e um sistema aquífero granítico, profundo, confinado, com circulação de água mineral.
The main goal of this work was to evaluate the hydrogeochemical evolution of the sulphurous mineral waters of Entre‐os‐Rios, in order to a better understanding of the hydrogeological conceptual model of this hydromineral system. To achieve this purpose, new hydrochemical data was collected, both from mineral spring waters, (Torre, Curveira, Ardias, Arcos Esquerda and Arcos Direita) and Barbeitos borehole. Eighty hydrochemical analyses were assembled, including organoleptic characteristics (smell, color, and turbidity), several physico‐chemical properties (temperature, pH, electrical conductivity, sulphuration, etc), major cations and anions (bicarbonate, fluoride, sodium, lithium, etc) and minor elements (lead, tungsten, boron, etc) from the 1938‐2012 period. Also, some historical data, from the end of XIX to the early XX centuries, was integrated. Moreover, some isotopical data was gathered and discussed (oxygen‐18, deuterium and tritium). The hydromineral resource of Entre‐os‐Rios is controlled by lithology and tectonic conditions. Chemical analyses revealed that Entre‐os‐Rios mineral waters have a good chemical constancy throughout the last hundred years. These waters have a low temperature, a relatively low mineralization, clearly alkaline, sulphydric, sodium‐bicarbonated, carbonated, highly fluorinated. These characteristics are definitely different from the normal groundwaters of the region. Entre‐os‐Rios mineral waters are very similar with those from S. Vicente and in several parameters quite different from Caldas da Saúde mineral waters. Isotopic data permitted to conclude that Entre‐os‐Rios waters have a meteoric origin, with a long residence time in the aquifer system, and that these waters are, most probably, submodern, recharged prior to 1952. In Entre‐os‐Rios region three aquifer systems coexist, a shallow unconfined granitic aquifer and an unconfined to semi‐confined granitic aquifer, both with normal waters, and a confined granitic aquifer, deep seated, with mineral water flow.
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/6157
Designação: Mestre em Engenharia Geotécnica e Geoambiente
Aparece nas colecções:ISEP - DM – Engenharia Geotécnica e Geoambiente

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_RosárioFerreira_2013_MEEG.pdf19,37 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.