Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/5723
Título: Análise do polimorfismo HLA/DR-DQ em Angolanos portadores de Diabetes Mellitus tipo I
Autor: Ramos, Nilda
Orientador: Fernandes, Rúben
Palavras-chave: Diabetes Mellitus tipo 1
HLA-II
PCR-SSP
Anti-GAD
Type 1 Diabetes Mellitus
Anti-GAD
Data de Defesa: Jan-2015
Resumo: A diabetes mellitus do tipo 1 (DM1) é o distúrbio endócrino-metabólico mais frequente em crianças. É uma doença autoimune resultado da destruição selectiva das células beta pancreáticas. A velocidade de destruição das células beta pode ser rápida em algumas pessoas e lenta em outras; esta última é típica de adulto é conhecido como diabetes autoimune latente em adulto (LADA). A sua etiologia envolve factores ambientais e genéticos, dos genes envolvidos a maior contribuição vem da região do genoma onde estão localizados os genes do Complexo Principal de Histocompatibilidade (MHC). A combinação de diferentes alelos do sistema de antigénio leucocitário humano tipo II (HLAII) esta associada a susceptibilidade da doença e as principais molécula envolvidas são a DQ e DR. O estágio pré-clínico da doença se caracteriza pela presença de auto-anticorpos, sendo o anti-GAD o mais sensível nesta patologia. OBJECTIVO: Analizar a frequência dos polimorfismos HLA-DR/DQ em angolanos portadores de diabetes tipo 1, residentes em Luanda. O tipo de estudo adotado foi casocontrolo num universo de voluntários provenientes da consulta externa de hospitais e clínicas locais no período de outubro de 2012 a outubro 2013. A amostra biológica utilizada foi sangue total, tendo sido processada no laboratório LABGENE, da Faculdade de Medicina (FM) da Universidade Agostinho Neto (UNA). Os auto-anticorpos, anti-GAD, foram doseados pelo método de ELISA. O ADN genómico foi extraído à partir de sangue total periférico e tipagem genética foi realizada mediante PCR-SSP.O alelo DQB1*02 (DQ2/DQ2) (p=0,033, OR= 4, IC (1,2-13,3) foi associado a susceptibilidade da DM1; os alelos DQB1*06 (DQ6/DQ6) (p=0,000, OR=0,30, IC (0,17-0,54); *11 (p=0,011, OR=0,14, IC=0,032-0,62); *13 (p=0,006, OR=0,13, IC=0,049-0,588) e *15 (p=0,001, OR=0,044, IC=0,005-0,39) foram associados a proteção. Foi encontrado 29,2% de positividade para o anti-GAD, não houve associação significativa (p=0,69) entre a resposta positiva do anti-GAD e a idade. Não foi encontrada associação significativa (p=0,39) entre o tempo de diagnóstico e resposta humoral. Observou-se associação significativa entre os alelos de risco DQB1*02 (p=0.000) e resposta positiva para anti-GAD; da mesma maneira houve uma associação significativa para os alelos DQB1*06 (p=0,002), DRB1*11 (p=0,048); *13 (p=0,004) e *15 (p=0,021) e a resposta negativa do anti-GAD.Os dados demostram o forte envolvimentos do gene HLA-II (DQ) com a suceptibilidade a DM1 e sugere que a autoimunidade se desenvolve na presença de susceptibilidade genética, quer dizer, em associação com alelos HLA-II específicos.
The type 1 diabetes mellitus (T1DM) is the endocrine-metabolic disorder more common in children. It is an autoimmune disease results from selective destruction of pancreatic beta cells. The rate of destruction of beta cells may be rapid in some people and slow in others; the latter is typical adult is known as latent autoimmune diabetes in adults (LADA). Of all the genes involved the largest contribution comes from the region of the genome where are located the genes of the major histocompatibility complex (MHC). The combination of different alleles of the human leukocyte antigen system type II (HLA-II) is associated with disease susceptibility and key molecule involved are DQ and DR. The preclinical stage of the disease is characterized by the presence of autoantibodies, and anti-GAD the most sensitive in this pathology. OBJECTIVE : To analyze the frequency of HLA-DR/DQ polymorphisms in Angolan patients with type 1 diabetes, living in Luanda. The type of study was adopted was a casecontrol in a universe of volunteers from outpatient local hospitals and clinics. The biological sample used was whole blood and was processed in LABGENE laboratory, Faculty of Medicine (FM) Agostinho Neto University (UNA) .The autoantibodies, anti- GAD, were assayed by ELISA . Genomic DNA was extracted from peripheral whole blood and genetic typing was performed by PCR-SSP. The DQB1 * 02 (DQ2 / DQ2) (p = 0.033, OR = 4, CI (1.2 to 13.3) were associated with the susceptibility DM1, whereas the DQB1 * 06 (DQ6 / DQ6) (p = 0.000 OR = 0.30 CI(0.17 to 0.54); * 11 (p = 0.011, OR = 0.14 ,CI = 0.032 to 0.62); * 13 (p = 0.006, OR = 0 , 13, CI = 0.049 to 0.588) and * 15 (p = 0.001, OR = 0.044 , CI = 0.005 to 0.39) were associated with protection. it was found 29.2% positivity for anti-GAD, there was no significant association (p = 0.69) between the positive response of anti-GAD and age. There was no significant association (p = 0.39) between the time of diagnosis and humoral response. There was a significant association between the alleles risk of DQB1 * 02 (p = 0.000) and positive for anti-GAD response, the same way there was a significant association for DQB1 * 06 alleles (p = 0.002), DRB1 * 11 (p = 0.048) * 13 (p = 0.004) and * 15 (p = 0.021) and the negative response of the anti- GAD. The data demonstrate the strong involvement of HLA-II (DQ) with DM1 and surgere that autoimmunity develops in the presence of genetic susceptibility to say, in association with specific alleles HLA-II.
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/5723
Designação: Mestrado Bioquímica em Saúde
Aparece nas colecções:ESTSP - DM - Tecnologia Bioquímica em Saúde

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_NildaRamos_2014.pdfDocumento principal3,88 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.