Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/5662
Título: Força Muscular Isocinética após Reconstrução do Ligamento Cruzado Anterior – Influência do Tipo de Enxerto (Osso-Tendão-Osso/Isquio-Tibiais)
Autor: Sousa, Mafalda
Orientador: Noronha, José
Melo, Cristina
Palavras-chave: Ligamento Cruzado Anterior
Ligamentoplastia
OTO
STG
Força Muscular Isocinética
Anterior Cruciate Ligament
Ligamentoplasty
Isokinetic Muscular Strenght
Data de Defesa: Out-2014
Resumo: Introdução: É reconhecida a importância do ligamento cruzado anterior (LCA) no funcionamento normal do joelho. Em caso de rotura ligamentar, nomeadamente em desportos com marcada solicitação dos movimentos de rotação do joelho, é justificada a necessidade de reconstrução do LCA na maioria dos casos. Objetivo (s): Avaliar a influência do tipo de enxerto na reconstrução do ligamento cruzado anterior na força muscular isocinética, assim como na funcionalidade e sintomas após 6 meses. Métodos: Estudo transversal analítico, constituído por 20 indivíduos voluntários do sexo masculino, que haviam sido submetidos a uma ligamentoplastia do cruzado anterior, pelo mesmo cirurgião, seguido de uma intervenção individualizada por um fisioterapeuta. Em 10 indivíduos, o procedimento cirúrgico foi realizado com enxerto do tendão rotuliano (grupo OTO), e nos restantes 10 com enxerto do semitendinoso e gracilis (grupo STG). Como forma de avaliar a Força Muscular Isocinética (Peak Torque, Trabalho Total Muscular, ratio Isquiotibiais/Quadricipite), foi utilizado o Dinamómetro Isocinético Biodex. A avaliação foi efectuada apenas aos 6 meses após o procedimento cirúrgico. Para observação da funcionalidade, amplitude de movimento e sintomas, utilizou-se o questionário International Knee Documentation Committee (IKDC). Resultados: Foi possível observar que entre os grupos apenas se observaram diferenças significativas no peak torque de extensão a 180º no membro não lesado (p=0,019). Contudo, foi observada uma tendência para o grupo OTO apresentar um maior défice no peak torque e trabalho total muscular em extensão. Comparativamente ao membro contra-lateral, o membro lesado apresentou valores significativamente inferiores na maioria das variáveis ( p < 0,05). Conclusão: Após 6 meses de pós-cirúrgico com reabilitação de fisioterapia, não foi possível apontar qual o enxerto que garante uma melhor recuperação da força muscular. Aos 6 meses, ambos os grupos ainda apresentaram limitações musculares, quando comparados com o lado contra-lateral. Relativamente ao rácio isquiotibiais/quadricípite, assim como no IKDC, não se observaram diferenças entre os dois tipos de enxertos.
Background: The importance of the anterior cruciate ligament (ACL) in the normal function of the knee is well recognized overall. In case of ligament rupture, as in sports with high marked request of knee rotation movements, the necessity of the ACL reconstruction is justified in most of the cases. Aim(s): Evaluate the influence of the type of graft in the ACL reconstruction, on the isokinetic muscular strength. Methods: This study was an analytic transversal, composed by 20 voluntary male subjects that were submitted to a ligamentoplasty of the ACL, by the same surgeon and followed by an individualized intervention by the physical therapist. In 10 subjects the surgical procedure was performed with a graft from the patellar tendon (OTO group), and the other 10 with a graft from the gracile and semitendinosus (STG group). As a mean to evaluate the Isokinetic muscular strength (Peak Torque, Total Muscular Work, Hamstring/Quadricipitis ratio), the Biodex Isokinetic Dynamometer was used. The evaluation took place only after 6 months past the surgical procedure. Results: Between the two groups there were significant statistical differences only on the 180º extension peak torque in the non-injured side (p=0,019). A tendency for the OTO group was observed, as it represents a bigger deficit in the extension (peak torque and total muscular work) in comparison to the other side. Conclusion: Six months after the surgery, with physical therapy rehabilitation, it was not possible to determine which of the grafts guaranties a be tter muscular strength recuperation. On the 6 months mark, both the groups still presented muscular limitations, when compared to the other side.
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/5662
Designação: Mestrado em Fisioterapia
Aparece nas colecções:ESTSP - DM - Fisioterapia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_MafaldaSousa_2014.pdf794,57 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.