Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/4546
Título: O perfil do utilizador abusivo dos Serviços de Urgência Portugueses: um estudo no Hospital de São João
Autor: Gomes, Mafalda Morgado de Oliveira Rebelo
Orientador: Pimenta, Rui
Nunes, Alcina
Palavras-chave: Serviço de urgência
Comportamento abusivo
Perfil do utente
Campanhas de sensibilização
Metodologia de regressão logística
Emergency service
Abusive behavior
User profile
Awareness campaigns
Logistic regression methodology
Data de Defesa: 2014
Editora: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto
Instituto Politécnico de Bragança
Instituto Politécnico do Cávado e do Ave
Instituto Politécnico de Viana do Castelo
Resumo: A afluência desmedida aos Serviços de Urgência é uma questão que acarreta preocupações a nível financeiro. Contribui para este fato, a mentalidade da população, que acredita que este serviço oferece mais facilidades de acesso, dispõe de mais recursos e fornece melhores cuidados de saúde. Novas medidas foram preconizadas, como o aumento das taxas moderadoras, para tentar travar este fenómeno. No entanto, apesar da descida dos episódios de urgência em cerca de 10%, em Portugal, estudos apontam para valores na ordem dos 30-35% de episódios não urgentes. Assim, torna-se importante que não só se enfatizem as novas medidas, como se eduque a população com vista à correta utilização destes serviços, através de campanhas de sensibilização. Torna-se, assim, necessário que se chegue ao perfil do utilizador abusivo. Para a identificação de um perfil de abusividade, foram solicitados dados de episódios de urgência ocorridos durante um período de 6 meses no Hospital de São João, tendo depois sido estimado um modelo de regressão logística. A metodologia permite identificar quais as características que influenciam uma utilização abusiva do serviço e quantificar o impacto de cada uma destas características na probabilidade de um utente apresentar um comportamento abusivo. Concluiu-se que, uma mulher entre os 18-30 anos, que resida em Vila Nova de Gaia, recorra à urgência durante a noite tendo-lhe sido atribuída uma pulseira azul e seja abrangida pelo Serviço Nacional de Saúde, apresenta 91,92% de probabilidade de utilizar este serviço de forma abusiva. Contrariamente, um homem com mais de 60 anos, residente na Maia, que recorra ao serviço durante o dia, esteja isento do pagamento de taxas moderadoras e seja abrangido pela ADSE, e lhe seja atribuída uma pulseira laranja, apresenta apenas 39,93% de probabilidade de ter um comportamento abusivo. Estes resultados são importantes para definir campanhas de sensibilização que diminuam comportamentos abusivos.
The uncontrolled influx of people in the emergency room is a matter that is financially worrisome. It does contribute to this fact, the popular mentality that this service offers ease access, has more features and provides better healthcare. New measures, like the increase of the user fees, were recommended to try to break this phenomenon. However, despite the decrease of about 10% of emergency episodes in Portugal, studies still indicate values of 30-35% of non-urgent episodes. Therefore, it is important not only to emphasize the new measures, but also to educate the population for the proper use of these services, through awareness campaigns. Consequently, it becomes necessary to define the profile of the abusive user. To identify the profile of the abusive user, data of emergency episodes that occurred during a period of 6 months at the Hospital of São João was requested, having then been estimated a model of logistic regression. This methodology allows us to identify what characteristics influence an abusive use of the service and quantify the impact of each of these characteristics on the probability of a user showing an abusive behavior. It was concluded that a woman between 18-30 years, residing in Vila Nova de Gaia, resorted to the emergency overnight, having been awarded a blue strap and is covered by the National Health Service, has 91,92% probability to use this service abusively. In contrast, a man who is over 60 years, residing in Maia, who uses the service during the day, is exempt from paying user fees and is covered by ADSE, having been assigned an orange bracelet, has only 39,93% probability of exhibiting an abusive behavior. These results are important to define awareness campaigns to reduce abusive behavior.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/4546
Aparece nas colecções:ESTSP - DM - Gestão de Organizações / Gestão de Unidades de Saúde

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_MafaldaGomes_2014.pdf1,14 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.