Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/4334
Título: Análise bilateral do timing de ativação dos músculos transverso abdominal/oblíquo interno durante o movimento rápido de flexão de cada membro superior – dominante e não-dominante
Autor: Ferreira, Ruben
Orientador: Carvalho, Paulo
Palavras-chave: Transverso abdominal
Timing de ativação
Dominante
Feedforward
Transversus abdominis
Onset timing
Dominant
Data de Defesa: 2013
Editora: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto
Resumo: Introdução: Por mais de uma década assumiu-se que o transverso abdominal/oblíquo interno (TrA/OI) se comportava como um ventre muscular único, pré-ativando-se bilateralmente de forma simultânea para aumentar a stiffness da coluna lombar, conferindo-lhe estabilidade segmentar durante o movimento de um dos membros superiores. À luz dos estudos atuais sabe-se que tal mecanismo não ocorre, uma vez que o TrA/OI apresenta uma ativação por mecanismo de feedforward predominantemente contralateral ao membro superior movido. Apesar de morfologicamente o TrA/OI do lado não-dominante ser mais hipertrofiado do que o do lado dominante, nada se sabe acerca da influência da dominância nos timings ativação do TrA/OI. Objectivos: Confirmar se o TrA/OI tem um timing de ativação assimétrico durante o movimento rápido de flexão do membro superior (MRMS). Pretende-se ainda avaliar se o timing de ativação do TrA/OI é influenciado pela dominância de lateralidade manual. Métodos: Efectuou-se um estudo observacional descritivo, transversal e duplamente cego com 32 atletas de futebol voluntários com membro superior direito dominante, colocando-os apenas num grupo. Procedeu-se à recolha do sinal eletromiográfico de forma a avaliar os timings de ativação do TrA/OI bilateralmente aquando dos movimentos rápidos de flexão de ambos os membros superiores, à vez. Todos os dados foram tratados estatisticamente com o programa SPSS, versão 20.0 para Mac OS, com um grau de significância de 0,05. Resultados: Verificaram-se diferenças nos timings de ativação dos TrA/OI direito e esquerdo durante os MRMS direito e esquerdo (Teste ANOVA medidas repetidas: F=291,087; p<0,001). O timing de ativação do TrA/OI direito – 29,15(13,15)ms – foi superior ao esquerdo – 4,71(17,32)ms – durante MRMS direito (Teste Post Hoc Bonferroni: p<0,001). O timing de ativação do TrA/OI esquerdo – 31,98(12,50)ms – foi superior ao direito – 12,20(17,40)ms – durante MRMS esquerdo (p<0,001). O timing de ativação do TrA/IO direito aquando do MRMS direito foi superior ao observado durante MRMS esquerdo (p<0,001). O contrário sucedeu em relação ao timing ativação do TrA/IO esquerdo (p<0,001). O timing de ativação do TrA/IO esquerdo no MRMS direito foi inferior ao do TrA/IO direito aquando do movimento com o membro esquerdo (p<0,001). O TrA/IO direito possuiu um timing de ativação no MRMS direito inferior ao do TrA/IO esquerdo aquando do movimento com o membro esquerdo (p<0,001). Conclusão: Através deste estudo pôde-se concluir que o TrA/OI contralateral ao MRMS apresenta um timing de ativação inferior ao ipsilateral e ainda que durante o MRMS dominante o TrA/OI esquerdo e direito apresentam um timing de ativação inferior ao ocorrido durante o MRMS não-dominante.
Background: For more than one decade was told that the transversus abdominis/internal oblique (TrA/OI) act as an unique muscle, bilaterally pre-activating simultaneously to increase stiffness to the low back, giving segmental stability during upper limb movements. Nowadays, we know that mechanism doesn’t happen, once TrA/OI reveals a feedfoward activation mechanism mostly contralateral to the moved limb. Beside the non-dominant side TrA/OI being thicker than the dominant side, nothing is known about the dominant side influence on the TrA/OI’s onset timing. Objectives: Confirm if the TrA/OI has assymetric onset timing during rapid arm flexion (MRMS), as well as assess if the dominant side influences TrA/OI’s onset timing. Methods: We conducted a double-blinded, descriptive, observational, transversal study along with 32 football athletes, all in one group. We proceeded the electromyographic collection evaluating TrA/OI’s onset timing bilaterally during lef and right rapid arm movements, at a time. Every statistical data was processed in the SPSS software, version 20.0 for Mac OS with a significance degree of 0,05. Results: We found differenceson right and left TrA/OI’s onset timing during both MRMS (Teste ANOVA medidas repetidas: F=291,087; p<0,001). Right TrA/OI’s – 29,15(13,15)ms – was higher than the left one – 4,71(17,32)ms – during righr MRMS (Teste Post Hoc Bonferroni: p<0,001). Left TrA/OI – 31,98(12,50)ms – was higher than the right one– 12,20(17,40)ms – during left MRMS (p<0,001). Right TrA/OI’s onset timing during right MRMS was higher than during left MRMS (p<0,001). The opposite happened with the left TrA/OI’s onset timing (p<0,001). Left TrA/OI’s onset timing during right MRMS was lower than right TrA/OI’s onset timing during left arm movement (p<0,001). Right TrA/OI’s onset timing during right MRMS was lower then left TrA/OI’s onset timing during left MRMS. Conclusion: We can conclude that the TrA/OI contralateral to the MRMS presents a lower onset timing compared to the ipsilateral. We can also tell thatduring dominant MRMS, left and right TrA/OI’s onset timing is lower than the ones during non-dominant MRMS.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/4334
Aparece nas colecções:ESTSP - DM - Fisioterapia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_RubenFerreira_2013.pdf96,14 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.