Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/3140
Título: Vilancicos portugueses do século XIV ao XVIII
Autor: Bessa, Rui
Data: 2003
Editora: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Educação do Porto.
Relatório da Série N.º: Revista Música, Psicologia e Educação;N.º 5
Resumo: A primeira intenção deste artigo é avivar o conhecimento do vilancico, género poético-musical que permaneceu, durante quase dois séculos, no esquecimento da História da Música nacional. Canção genuinamente peninsular, o vilancico português foi mesmo o género mais profusamente conhecido e executado em Portugal, nos séculos XV ao XVIII, e que teve enorme aceitação na Igreja, na corte, na nobreza e no povo. Apesar de pouco conhecido, o vilancico, que começou popular e profano, assumiu-se depois sacro- profano ao entrar nos templos e acabou por ser religioso e imprescindível nos serviços litúrgicos do Ofício e da Missa. Foi motivação para que as igrejas se enchessem de devotos, que procuravam nele o fortalecimento da Fé; de não devotos, que corriam aos templos para os ouvir e ver a espectacularidade com que eram cantados e representados. Esteve presente nos serões e festas comemorativas dos palácios da corte e dos fidalgos. Os dramaturgos, de então, deram-lhe grande relevo ao inclui-lo nas suas peças teatrais. É justo, por isso, que se dê ao vilancico a atenção que merece para que, cada vez mais, seja conhecido e executado. Este é o principal objectivo deste artigo.
Peer review: no
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/3140
Aparece nas colecções:ESE - CIPEM - Revista Música, Psicologia e Educação - 2003 (Nº 5)

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
ART_RuiBessa_2003.pdf27,75 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.