Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/2798
Título: Telling stories of culture through literature
Autor: Birrento, Ana
Palavras-chave: Experience
Structures of feeling
Knowable community
Discursive alliances
Communication
Experiência
Estrutura de sensibilidade
Comunidade conhecível
Alianças discursivas
Comunicação
Data: 2008
Editora: Instituto Politécnico do Porto. Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto
Resumo: Grounded on Raymond Williams‘s definition of knowable community as a cultural tool to analyse literary texts, the essay reads the texts D.H.Lawrence wrote while travelling in the Mediterranean (Twilight in Italy, Sea and Sardinia and Etruscan Places) as knowable communities, bringing to the discussion the wide importance of literature not only as an object for aesthetic or textual readings, but also as a signifying practice which tells stories of culture. Departing from some considerations regarding the historical development of the relationship between literature and culture, the essay analyses the ways D. H. Lawrence constructed maps of meaning, where the readers, in a dynamic relation with the texts, apprehend experiences, structures and feelings; putting into perspective Williams‘s theory of culture as a whole way of life, it also analyses the ways the author communicates and organizes these experiences, creating a space of communication and operating at different levels of reality: on the one hand, the reality of the whole way of Italian life, and, on the other hand, the reality of the reader who aspires to make sense and to create an interpretative context where all the information is put, and, also, the reality of the writer in the poetic act of writing. To read these travel writings as knowable communities is to understand them as a form that invents a community with no other existence but that of the literary text. The cultural construction we find in these texts is the result of the selection, and interpretation done by D.H.Lawrence, as well as the product of the author‘s enunciative positions, and of his epistemological and ontological filigrees of existence, structured by the conditions of possibility. In the rearticulation of the text, of the writer and of the reader, in a dynamic and shared process of discursive alliances, we understand that Lawrence tells stories of the Mediterranean through his literary art.
Fundado na definição de comunidade conhecível proposta por Raymond Williams como uma ferramenta cultural para a análise de textos literários, o artigo propõe a leitura das narrativas de viagem que D.H.Lawrence escreveu quando viajou pelo Mediterrâneo (Twilight in Italy, Sea and Sardinia e Etruscan Places) como comunidades conhecíveis, trazendo para a discussão a importância da literatura não só como objecto de análise para a crítica textual, mas também como uma prática significativa que conta histórias de cultura. Partindo de algumas considerações sobre o desenvolvimento histórico da relação entre literatura e cultura, o artigo analisa os modos como D. H. Lawrence construiu mapas de significado, onde os leitores, numa relação dinâmica com o texto, apreendem experiências, estruturas e sensibilidades, analisando também os modos como o autor comunica e organiza estas experiências, criando um espaço de comunicação que opera a diferentes níveis da realidade: por um lado, a realidade de todo um modo de vida italiano e, por outro lado, a realidade do leitor que aspira a fazer sentido e a encontrar um contexto interpretativo onde coloque toda a informação, e a realidade do escritor no acto poético da escrita. Ler estas narrativas como comunidades conhecíveis é compreendê-las como uma forma que inventa uma comunidade que não tem qualquer existência a não ser a do texto literário. A construção cultural que encontramos nestes textos é o resultado da selecção e interpretação de Lawrence, bem como o produto das suas posições enunciativas e das suas filigranas epistemológicas e ontológicas da existência, estruturadas pelas condições de possibilidade. Na re-articulação do texto, do escritor e do leitor, num processo dinâmico e partilhado de alianças discursivas, percebemos que D.H.Lawrence conta histórias do Mediterrâneo através da sua arte.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/2798
ISSN: 1645-1937
Versão do Editor: http://www.iscap.ipp.pt/~www_poli/
Aparece nas colecções:ISCAP - LC - Artigos

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
A_AnaBirrento_2008.pdf194,27 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.