Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/2500
Título: Efeitos de dois programas de exercício na endurance de tronco, controlo lombo-pélvico, perceção de dor lombar e fadiga, funcionalidade e qualidade de vida: Pilates Clínico vs Exercícios segundo McGill
Autor: Tavares, Maria
Orientador: Carvalho, Paulo
Palavras-chave: Exercicios terapêuticos
Lombalgia crónica não especifica
Estabilidade lombar
Pilates
McGill
Therapeutic exercises
Non specific lumbar pain
lumbar stability
Data de Defesa: 2013
Editora: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto
Resumo: Introdução: A lombalgia crónica assume uma elevada prevalência e graves repercussões a nível socioeconómico, sendo inúmeras as abordagens terapêuticas para o seu tratamento e prevenção. Existindo forte evidência da eficácia dos exercícios terapêuticos no seu tratamento, importa saber quais os mais efetivos. Objectivos: Comparar a efetividade de dois programas de exercício terapêutico na endurance do tronco, no controlo lombo-pélvico, na perceção de dor lombar e fadiga, na funcionalidade e na qualidade de vida em mulheres com lombalgia crónica não especifica, cuidadoras de idosos. Métodos: 24 mulheres foram divididas aleatoriamente em três grupos de 8. Durante 6 semanas, um grupo serviu de controlo (GC) e os outros dois grupos realizaram um programa de exercícios: Pilates Clínico (GP) ou exercícios segundo McGill (GM), com os outcomes medidos em ternos de endurance de tronco pelos testes de McGill, controlo lombo-pélvico pelos testes Active Straight Leg Raise e teste de controlo lombo-pélvico segundo McGill, dor lombar pela Numerical Rating Scale, fadiga pela escala de Borg, funcionalidade através do Questionário de Incapacidade de Roland Morris e qualidade de vida através do Questionário de Estado de Saúde (SF36-V2). Resultados: Relativamente à endurance, verificaram-se diferenças entre grupos no rácio flexores/extensores (p=0,005), e no rácio lateroflexores à esquerda/extensores (p=0,027), sendo que o GP apresentou um rácio estatisticamente inferior ao GC em ambos. Não existiram diferenças estatisticamente significativas entre os 3 grupos no controlo lombo-pélvico, perceção de dor, fadiga e funcionalidade, apesar das melhorias observadas intra-grupos. Relativamente à qualidade de vida, a dimensão saúde em geral aumentou significativamente no GP (p=0,020) e a função social no GM (p=0,045). Conclusão: A implementação dos programas de exercício Pilates Clínico e Exercícios segundo McGill numa amostra de cuidadoras de idosos com lombalgia crónica não especifica, parece ter um efeito positivo quando comparados com os do grupo de controlo sobre a endurance do tronco, controlo lombo-pélvico, perceção de dor lombar e fadiga, funcionalidade e qualidade de vida.
Introduction: Chronic lumbar pain has a high prevalence and severe socioeconomical implications, with numerous therapeutic approaches to its treatment and prevention. Current evidence demonstrates efficacy from therapeutic exercise in its treatment, being especially relevant to evaluate those most effective. Objectives: Compare the effectiveness of two therapeutic exercise programmes in trunk endurance, lumbopelvic control, lumbar pain and exertion perception, functioning and quality of life in women with non specific lumbar pain, elder carers. Methods: 24 women were randomly assigned to 3 groups of 8. Within 6 weeks, one group acted as control (GC) and the other two performed one exercise programme: Clinical Pilates (GP) or McGill’s Exercises (GM). Trunk endurance was measured by the McGill tests; lumbopelvic control by the Active Straight Leg Raise test and McGill’s lumbopelvic control test; lumbar pain by the Numerical Rating Scale; exertion by the Borg Scale, functioning through the Rolland Morris Disability Questionnaire; quality of life by the Health State Questionnaire (SF36-V2). Results: Regarding endurance, there were intergroup differences in the flexors/extensors ratio (p=0,005), and right lateroflexors/ extensors ratio (p=0,012), with the GP presenting a statistical inferior ratio than the GC in both. There were no statistical relevant differences between the 3 groups in lumbopelvic control, pain and exertion perception and functioning, despite the intragroup observed improvements. In the quality of life, the health in general dimension significantly increased within the GP (p=0,020) and social function in the GM (p=0,045). Conclusion: The performance of Clinical Pilates and McGill’s Exercises programmes in a sample of elder carers with non specific lumbar pain appears to have a positive effect in trunk endurance, lumbopelvic control, pain and exertion perception, functioning and quality of life, when compared to a control group.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/2500
Aparece nas colecções:ESTSP - DM - Fisioterapia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_MariaTavares_2013.pdf1,98 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.