Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/2486
Título: A influência da massagem na sensação retardada de desconforto muscular
Autor: Costa, Michael
Orientador: Bessa, Isabel
Palavras-chave: Massagem
Sensação retardada de desconforto muscular
Exercício excêntrico
Lesão muscular
Isquiotibiais
Massage
Delayed-onset muscle soreness
Eccentric exercise
Muscle injury
Hamstrings
Data de Defesa: 2013
Editora: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto
Resumo: Introdução: Apesar dos muitos estudos sobre a temática da sensação retardada de desconforto muscular, atualmente, ainda se discute a explicação dos mecanismos subjacentes a esta condição clínica, bem como, a sua prevenção e tratamento. A literatura sugere a massagem como uma das formas de terapia, contudo, os estudos têm mostrado resultados controversos. Objetivo: Verificar se a massagem aplicada 2 horas após um protocolo de exercício excêntrico tem influência na sensação retardada de desconforto muscular, bem como, se o seu efeito varia dependendo do tempo de aplicação. Métodos: 21 participantes (23,62±1,32 anos; 76,95±12,17 kg; 174,71±4,78 cm; 25,25±4,26 Kg/m 2) foram divididos em três grupos. Foi avaliada a dor, força muscular e a perimetria antes, e 2h, 24h, 48h, e 72h após um protocolo de exercício constituído por três séries de dez repetições de contrações excêntricas dos isquiotibiais do membro dominante, com 80% da força máxima, a uma velocidade constante de 60º/s, numa amplitude entre 0º e 80º, utilizando o dinamómetro isocinético Biodex System 4. A massagem foi efetuada 2 horas após o exercício em dois grupos experimentais com durações diferentes, sendo o terceiro grupo de controlo. Para identificar diferenças entre os grupos no momento inicial e na variável diferença entre o momento inicial e os restantes momentos, recorreu-se ao teste de Kruskal-Wallis, seguido de uma análise Post-Hoc através do teste de Dunn com um nível de significância de 0,05. Resultados: Verificou-se que a massagem teve efeito na redução da dor e na perimetria. Relativamente à força não foram encontradas alterações significativas. Conclusão: Os resultados mostraram que a massagem aplicada 2 horas após o exercício excêntrico, independentemente da duração utilizada, teve efeito na redução da dor, mas não na força muscular. Na perimetria apesar de haver alterações, estas não foram consideradas relevantes.
Introduction: Despite of the many studies on the subject of delayed-onset muscle soreness, nowadays, the explanation of the mechanisms underlying this clinical condition is still on discussion, as well as its prevention and treatment. The literature suggests massage as a form of therapy, however, studies have shown controversial results. Objective: To verify if massage applied 2 hour after an eccentric exercise protocol has influence upon the delayed-onset muscle soreness, as well as, if its effect varies depending on the time of application. Methods: 21 participants (23.62 ± 1.32 years; 76.95 ± 12.17 kg; 4.78 ± 174.71 cm; 25.25 ± 4.26 Kg/m2) were divided into three groups. The pain, muscle strength and perimetry was evaluated before, and 2h, 24h, 48h and 72h after an exercise protocol composed by three sets of ten repetitions of eccentric hamstring contraction of the dominant member, with 80% of maximum force, at a constant speed of 60º/s, in a range between 0° and 80°, using the isokinetic dynamometer Biodex System 4. The massage was done 2 hours after exercise in two experimental groups with different durations, being the third a control group. To identify differences between the groups in the initial moment and in the difference between the initial moment and the remaining moments, the Kruskal-Wallis test was used, followed by a Post-Hoc analysis through the Dunn test with a significance level of 0.05. Results: It was found that the massage had an effect in reducing pain and perimetry. Regarding force significant changes were not found. Conclusion: The results showed that massage applied 2h after eccentric exercise, regardless of duration used, had an effect on pain reduction, but not in muscle strength. In perimetry although there were changes, these were not considered relevant.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/2486
Aparece nas colecções:ESTSP - DM - Fisioterapia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_MichaelCosta_2013.pdf765,97 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.