Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/2483
Título: Padrão de ativação de músculos do core abdominal e tilt pélvico no teste de extensão da anca, em indivíduos com e sem dor lombo- pélvica
Autor: Teixeira, Jorge
Orientador: Carvalho, Paulo
Montes, António
Palavras-chave: Dor lombo-pélvica
Teste de extensão da anca
Atividade muscular
Tilt pélvico
Low back pain
Prone hip extension
Muscle activity
Pelvic tilt
Data de Defesa: 2013
Editora: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto
Resumo: Introdução: Os padrões de movimento podem sofrer alterações por atraso no timing de ativação e/ou modificações na sequência de recrutamento muscular, predispondo o indivíduo a disfunções, nomeadamente a dor lombo-pélvica. Objetivo: Investigar o timing e o padrão de ativação de músculos do core abdominal, durante o movimento de extensão da anca, do membro dominante, em indivíduos com e sem dor lombo- pélvica crónica inespecífica. Pretende-se, também, pesquisar a existência do padrão de ativação considerado “normal“ e verificar a relação entre o padrão de ativação e o tilt pélvico, em ambos os indivíduos. Métodos: Estudo transversal, com 64 estudantes universitários, divididos em dois grupos: 31 sem e 33 com dor lombo-pélvica. Através de eletromiografia de superfície foi recolhida a atividade muscular dos Eretores da Espinha ipsilateral e contralateral, Glúteo Máximo e Bicípite Femoral ipsilaterais. Foi analisado o timing de ativação muscular e as respetivas ordens de ativação. Adicionalmente foi medido o tilt pélvico. Resultados: O grupo com dor lombo-pélvica apresentou um atraso significativo no timing de ativação dos músculos Glúteo Máximo ipsilateral (t=-3,171;p=0,002) e Bicípite Femoral ipsilateral (t=-2,092;p=0,041), em comparação com o grupo sem dor. Verificou-se uma associação significativa entre as 5 ordens de ativação mais frequentes e a presença de dor lombo-pélvica (xf2=11,54;p=0,015). A ordem de ativação "normal" – Glúteo Máximo ipsilateral>Bicípite Femoral ipsilateral>Eretor da Espinha contralateral>Eretor da Espinha ipsilateral – não foi utilizada. Verificou-se que o Bicípite Femoral ipsilateral foi maioritariamente o primeiro a ativar-se e o Glúteo Máximo ipsilateral o último em ambos os grupos. Verificou-se um tilt pélvico significativamente superior nos indivíduos que ativam primeiro o Bicípite Femoral ipsilateral nos grupos com (U=51;p=0,001) e sem dor (U=41p=0,001). Conclusão: Os indivíduos com dor lombo-pélvica apresentaram um atraso no timing de ativação dos músculos do core abdominal. Os resultados parecem refutar a ordem de ativação "normal" que tem sido proposta. Não foi possível apoiar nem contestar a teoria de que um atraso na ativação do Glúteo Máximo está associado com dor lombo-pélvica.
Background: The movement pattern may change due to a delay in the activation timing and/or muscle recruitment sequence, predisposing the individual to disorders, including low back pain. Objective: Investigate the timing and activation pattern of abdominal core muscles, during the hip extension movement in the dominant lower limb, in individuals with and without chronic low back pain. We also intend to investigate the existence of the “normal” activation pattern and the relation between the activation pattern and pelvic tilt, in both groups. Methods: Cross sectional study, with 64 college students, divided in two groups: 31 asymptomatic and 33 with low back pain. Through electromyography it was colected the mioelectrical signal of the ipsilateral and contralateral Erector Spinae muscles, ipsilateral Gluteus Maximus and ipsilateral Biceps Femoris. It was analyzed the timing of muscle activation and respective orders of activation. Additionally pelvic tilt was measured in both groups. Results: The group with low back pain presented a delay in activation timing of ipsilateral Gluteus Maximus (t=-3,171;p=0,002) and ipsilateral Biceps Femoris (t=-2,092;p=0,041) compared with the group without pain. There was an association between the 5 most frequent orders of activation and the presence of low back pain (xf2=11,54;p=0,015). The "normal" order of activation (Gluteus Maximus ipsilateral>Biceps Femoris ipsilateral>contralateral Erector Spine>Erector Spine ipsilateral), was never used. It was found that the ipsilateral Biceps Femoris was mostly the first to be activated and the Gluteus Maximum was the last in both groups. There was an higher pelvic tilt in individuals who first activates the ipsilateral Biceps Femoris in the group with pain (U=51;p=0,001) and without (U=41;p=0,001). Conclusion: Subjects with low back pain showed a delay in the activation timing of the abdominal core muscles. The results seem to disprove the "normal" order of activation, which has been proposed. It was not possible to support or refute the theory that a delay in activation of the Gluteus Maximus is associated with low back pain.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/2483
Aparece nas colecções:ESTSP - DM - Fisioterapia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_JorgeTeixeira_2013.pdf96,22 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.