Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/2475
Título: Relação entre a unidade de biofeedback de pressão, deslocamento do centro de pressão e atividade eletromiográfica durante o active straight leg raising em indivíduos com e sem dor lombo-pélvica.
Autor: Crasto, Carlos
Orientador: Carvalho, Paulo
Montes, António
Palavras-chave: Dor lombo-pélvica crónica
Unidade de biofeedback de pressão
Active straight leg raising
Chronic low back pain
Pressure biofeedback unit
Data de Defesa: 2013
Editora: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto
Resumo: Introdução: A unidade de biofeedback de pressão, em indivíduos com dor lombo-pélvica, é utilizada durante exercícios de estabilização segmentar, no entanto ainda carece de evidência científica. Objetivo: Determinar a relação entre a unidade de biofeedback de pressão (UBFP), o deslocamento do centro de pressão no sentido médio-lateral (COPml) e a atividade eletromiográfica abdominal durante o active straight leg raising (ASLR) em indivíduos com e sem dor lombo-pélvica, bem como identificar diferenças entre os grupos. Metodologia: Estudo transversal analítico em 18 estudantes universitários voluntários com dor lombo-pélvica crónica inespecífica (GCD) e em 20 sem dor (GSD). Durante o ASLR (desafio postural dinâmico) foram avaliadas as variações máxima e média da pressão (recorrendo à UBFP) e do deslocamento do COPml (através da plataforma de forças), bem como a atividade muscular abdominal, bilateralmente, com recurso à eletromiografia de superfície. Estatisticamente recorreu-se à correlação de Spearman e ao teste Mann-Whitney U, ambos com um nível de significância de 0,05. Resultados: No GCD, ao contrário do GSD, não foi verificada uma relação entre a UBFP e a atividade do transverso abdominal/obliquo interno (TrA/OI) contra-lateral. Correlações moderadas, mas com sentidos opostos, foram evidenciadas em ambos os grupos, entre o deslocamento do COPml e a atividade do TrA/OI contra-lateral. Em ambos os grupos, a UBFP demonstrou estar fortemente correlacionada com o COPml. Não foram observadas diferenças significativas entre os grupos nas variáveis avaliadas. Conclusão: A UBFP, no GCD, não se apresentou relacionada com a atividade do TrA/OI. Contudo, demonstrou uma relação com o deslocamento do COPml, em ambos os grupos, sendo portanto um indicador de estabilidade do tronco e assim, uma ferramenta útil em ambiente clínico. No GCD observou-se que uma maior atividade muscular TrA/OI pressupõe maior deslocamento do COPml, sendo uma relação contrária à verificada no GSD, podendo ser um indicador da perda da sua ação tónica.
Background: Pressure biofeedback unit, in subjects with low back pain, is used during segmental stabilization exercises, however scientific evidence is still lacking. Objective: Determine the relationship between pressure biofeedback unit (UBFP), center of pressure medial-lateral displacement (COPml) and electromyographic activity of the abdominal muscles during the active straight leg raising (ASLR) in individuals with and without low back pain, as well as identify differences between groups. Methods: Analytical cross-sectional study in 18 college students volunteers with chronic nonspecific low back pain (GCD) and 20 without pain (GSD). During the ASLR (dynamic postural challenge) were evaluated pressure (using the UBFP) and COPml displacement's mean and maximal variation, as well as bilateral abdominal muscles activity using surface electromyography. Statistically it were used Spearman correlations and Mann-Whitney U tests, both with a significance level of 0,05. Results: Unlike GSD, in the GCD it was not found a relationship between UBFP and contra-lateral transversus abdominis/internal oblique (TrA/OI) muscle activity. Moderate correlations, but with opposite directions, were found in both groups between COPml displacement and contra-lateral TrA/OI activity. In both groups, UBFP showed to be strongly correlated with COPml. There were no significant differences between groups in the evaluated variables. Conclusion: The UBFP, in GCD, did not appear to be related with TrA/OI activity. However, it was found a relationship with COPml displacement in both groups, thus being an indicator of trunk stability and so can be useful in the clinical environment. In GCD it was observed that a greater TrA/OI muscle activity implies a greater COPml displacement, being contrary to the relationship found in GSD, and could be an indicator of their loss of tonic action.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/2475
Aparece nas colecções:ESTSP - DM - Fisioterapia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_CarlosCrasto_2013.pdf1,47 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.