Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/1975
Título: Influência da cirurgia abdominal na função pulmonar e capacidade de tosse
Autor: Fonseca, Ana Sofia
Orientador: Faria, Filomena
Palavras-chave: Cirurgia abdominal
Complicações pós-operatórias
Capacidade vital forçada
Volume expiratório máximo
Tosse
Abdominal surgery
Post-surgery complications
Forced vital capacity
Forced expiratory volume
Cough
Data de Defesa: 2011
Editora: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto
Resumo: Introdução: A cirurgia abdominal acarreta grande risco de complicações pulmonares pós-operatórias. As alterações pós-cirúrgicas abdominais, reflectem-se na dinâmica ventilatória, de modo particular nos volumes e capacidades pulmonares, e na capacidade de tosse. Objectivos: Compreender qual a variação dos volumes e capacidades pulmonares e da capacidade de tosse antes e depois da cirurgia abdominal (estômago e cólon), e qual a correlação dessa variação com o nível de dor percepcionada. Desenho do estudo: Unicêntrico, prospectivo e observacional. Amostra: 10 indivíduos, propostos para cirurgia abdominal – estômago e cólon. Metodologia: Dois momentos de avaliação: um nas 24h préoperatórias em que se mediu a capacidade vital forçada (CVF) e o volume expirado máximo no primeiro segundo (VEMS1) com espirometria, e do pico de fluxo de tosse (PCF); e um segundo momento nas 24h pós-operatórias onde se repetiram as medições do primeiro momento com o acréscimo da avaliação da dor. Resultados: No pós-operatorio imediato há uma diminuição significativa da CVF de 44,30%±17,24 (p=0,005), do VEMS1 de 35,50%±28,47 (p=0,009) e do PCF de 38,97%±38,66 (p=0,012). Não se verificou nenhuma relação entre a dor percepcionada na realização das manobras de espirometria e tosse com diminuição a da CVF e do VEMS1 e do PCF respectivamente. O sexo apresentou uma relação significativa com a variação da CRF e do VEMS1 (p=0,046 e p=0,008 respectivamente). A frequência respiratória apresentou um aumento significativo no pós-operatório de 10±11,22 cpm (p=0,019). A saturação periférica de oxigénio apresentou uma diminuição significativa no pós-operatório de 3,52±2,47 (p=0,011) Conclusão: No estudo efectuado fica demonstrado o impacto negativo da cirurgia abdominal na dinâmica respiratória. A diminuição dos valores da CVF, do VEMS1 e do PCF podem contribuir de forma significativa para o aumento do risco de complicações respiratória pós-operatórias. No entanto seria importante a realização deste estudo com uma amostra maior.
Background: Abdominal surgery carries a high risk of postoperative pulmonary complications. The post-surgery abdominal changes reflected in respiratory dynamics, especially in lung volumes and capacities, and in the ability to cough. Objective: Understand the variations in lung volumes and capacities and the ability to cough before and after abdominal surgery (stomach and colon) and the correlation of pain with that variation. Design: Unicentric, prospective and observational trial. Patients: 10 patients undergoing abdominal surgery- gastric and colon. Methods: One measurement at 24 hours pre-operative of forced vital capacity (FVC) and forcer expiratory volume in one second (FEV1) by spirometry, and peak cough flow (PCF). And 24 hours postoperative the same parameters plus pain assessment. Results: Postoperative a significant reduction in FVC of 44.30%±17,24 (p = 0.005), FEV1 of 35.50%±28,47 (p = 0.009) and the PCF of 38.97%±38,66 (p = 0.012). There was no significant relationship between the pain in spirometry and cough maneuvers and the reduction of FVC and FEV1 and PCF respectively. The gender showed a significant relationship with changes in FRC and FEV1 (p = 0.046 and p = 0.008 respectively). The respiratory rate showed a significant increase at postoperative of 10±11,22 bpm (p = 0.019). The oxygen saturation showed a significant decrease at postoperative period of 3,52±2,47 (p = 0.011). Conclusion: The trial shows the negative impact of abdominal surgery in respiratory dynamics. The reduction of FVC, FEV1 and the PCF can contribute significantly to the increased risk of postoperative respiratory complications. However it would be important to conduct this study with a larger sample.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/1975
Aparece nas colecções:ESTSP - DM - Fisioterapia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_AnaFonseca_2011.pdf707,54 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.