Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/1914
Título: O uso do smartphone na avaliação do risco de queda associado ao envelhecimento
Autor: Ferreira, Maria
Orientador: Melo, Cristina Argel
Palavras-chave: Envelhecimento
Smartphone
Sit to stand
One leg standing
Falls eficacy scale
Aging
Data de Defesa: 2013
Editora: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto
Resumo: Introdução: O declínio do equilíbrio, da força dos membros inferiores e o medo de cair são fatores de risco de queda associados ao envelhecimento e a sua avaliação pode ser realizada pelo teste One Leg Standing (OLS), Sit to Stand (STS) e pela Falls Eficacy Scale (FES), respetivamente. As aplicações para smartphone constituem uma alternativa para a avaliação dos fatores de risco de queda no envelhecimento. Objetivo: Analisar a capacidade de uma aplicação para smartphone na avaliação dos testes STS, OLS e FES. Metodologia: Realizou-se um estudo analítico numa amostra de 27 voluntários com idade ≥ 60 anos. Realizaram-se os testes STS, OLS e a FES (versão iconográfica, apresentada no smartphone). Os dados foram recolhidos simultaneamente por um smartphone e pelo Qualisys Motion Capture Systems associado a uma plataforma de forças. Foi utilizado o r de Pearson ou Spearman para analisar as possíveis correlações. Resultados: No STS obteve-se uma correlação muito forte (rp=0.97) no número de repetições de ciclos Sit Stand Sit (SLS) e forte na duração média do SLS (rp=0.85) e das subfases Sit to Stand (rp=0.69) e Stand to Sit (rp=0.778), com p<0.001. As medidas de inclinação do tronco apresentaram correlações fortes, com exceção do ângulo inicial (p≥0.05). No OLS, verificou-se uma correlação moderada entre o deslocamento do centro de pressão peak to peak médio-lateral (rs=0.45; p=0.017) e antero-posterior (rs=0.39; p=0.046), root mean square médio-lateral (rs=0.39; p=0.046) e antero-posterior (rs=0.46; p=0.017) e área do estatocinesiograma (rs=0.45; p=0.018). Na FES obteve-se uma correlação moderada em três categorias: ‘tomar banho/duche’ (rs=0.49; p=0.010), ‘deitar/levantar da cama (rs=0.43; p=0.024) e ‘chegar aos armários’ (rs=0.38; p=0.050). Conclusão: A aplicação para smartphone parece avaliar corretamente os ciclos e a variação da inclinação do tronco no STS, porém parece necessitar de ser reajustada na FES e na velocidade do deslocamento do centro de pressão, no OLS.
Background: The decline in balance, in lower limb strength and the fear of falling are fall’s risk factors and can be evaluated by the One Leg Standing (OLS), the Sit to Stand (STS) and the Falls Eficacy Scale (FES), respectively. Smartphone applications constitute an alternative in the evaluation of fall’s risk factors in aging. Objective: To analyze the ability of a smartphone application in the evaluation of STS, OLS and FES. Methods: An analytic study was performed on a sample with 27 volunteers aged ≥ 60 years. It was performed the STS test, the OLS test and the FES (smartphone’s’ iconographic version). Data from both tests were simultaneously collected by a smartphone application and Qualisys Motion Capture Systems connected with a force-plate. Pearson’s or Spearman’s r was used to analyze the possible correlations. Results: The STS showed a very strong correlation (rp=0.96) on the number of Sit Stand Sit (SLS) cycles repetitions and a strong correlation on the average durations of SLS (rp=0.85) and its subfases Sit to Stand (rp=0.69) and Stand to Sit (rp=0.78), with p<0.001. Trunk inclination measures showed strong correlations, with exception to the initial angle (p≥0.05). The OLS presented a moderate correlation between variables that measure the pressure centre displacement peak to peak medial-lateral (rs =0.45; p=0.017) and antero-posterior (rs=0.39; p=0.046), medial-lateral and antero-posterior root mean square (rs=0.39; p=0.046 and rs=0.46; p=0.017, respectively) and the statokinesigram area (rs=0.45; p=0.018). The FES revealed a moderate correlation in three categories: ‘take a bath/shower’ (rs=0.49; p=0.010), ‘lay down/lift in bed’ (rs=0.43; p=0.024) and ‘reach into closets’ (rs=0.38; p=0.050). Conclusion: The smartphone application seems to properly evaluate the cycles and the variation of the trunk inclination in the STS, but seems to need a readjustment in the FES and in the velocity of pressure centre displacement, in OLS.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/1914
Aparece nas colecções:ESTSP - DM - Fisioterapia

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_MariaFerreira_2013.pdf859,16 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.