Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.22/1120
Título: A disfunção redox espinhal na dor neuropática
Autor: Sousa, Raquel
Orientador: Teixeira, António
Prudêncio, Cristina
Pinto, Dora
Palavras-chave: Dor neuropática
Disfunção redox
ROS
Alodínia
Hiperalgesia
Neuropathic pain
Redox dysfunction
ROS
Allodynia
Hyperalgesia
Data de Defesa: 2012
Editora: Instituto Politécnico do Porto. Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Porto
Resumo: As espécies reativas de oxigénio (ROS) estão envolvidas no desenvolvimento de dor neuropática. No entanto, a aplicação clínica de moléculas antioxidantes no tratamento desta patologia tem demonstrado pouca eficácia. A inibição da NADPH oxidase (NOX), uma das principais fontes de ROS, poderá ser uma boa estratégia terapêutica. O nosso grupo verificou que a apocinina (inibidor da NOX) melhora parcialmente os sintomas de dor neuropática e a disfunção redox espinhal no modelo SNI (spared nerve injury). De forma a melhorar este efeito terapêutico, o presente estudo insere-se num projeto maior, que visa identificar as isoformas da NOX envolvidas na fisiopatologia da doença e avaliar o efeito da administração de inibidores específicos para essas isoformas. Assim, propusemo-nos a avaliar a disfunção redox espinhal em fases precoces dador neuropática periférica induzida pelo modelo SNI no Rato, relacionando-a com os comportamentos de dor demonstrados pelos animais. Foram constituídos três grupos experimentais: SNI, sham e naïve, com subgrupos testados e sacrificados aos dias 1, 3, 7 e 14 após a cirurgia. Avaliou-se a sensibilidade mecânica (vonFrey e pinprick) e ao frio (acetona) dos animais, sacrificaram-se e recolheram-se as medulas espinhais para análise imunohistoquímica, com marcadores de dano oxidativo no DNA e de dano nitrosativo. Ao contrário dos animais sham, que demonstraram um comportamento muito próximo dos naïve, os animais SNI desenvolveram alodínia mecânica e ao frio e hiperalgesia mecânica na pata ipsilateral. No entanto, o dano oxidativo no corno dorsal ipsilateral da medula espinhal apresentou-se idêntico nos grupos SNI e sham ao longo dos 14 dias de estudo, não havendo também diferenças entre os cornos ipsi e contralateral à lesão nervosa. É possível que o desenvolvimento de dor neuropática nos animais SNI não se faça acompanhar de disfunção redox espinhal, pelo menos até aos 14 dias pós indução. O facto de a lesão nervosa no modelo SNI se localizar numa porção distal do ciático, ao contrário de outros modelos em que o stresse oxidativo espinhal foi já descrito, poderia explicar essas diferenças. Em todo o caso, considerando que os resultados comportamentais obtidos indicam que as cirurgias SNI e sham causam diferentes níveis de sensibilização nos animais, parece-nos fulcral prolongar os tempos de neuropatia, e executar uma avaliação do estado redox com outros marcadores, de forma a elucidar se, de facto, existem ROS envolvidas nesta sensibilização e, em caso positivo, poder identificar essas espécies, bem como as suas fontes.
Reactive oxygen species are involved in neuropathic pain pathophysiology. However, the use of antioxidants to treat this pathology is seldom effective in clinical trials. Inhibiting the NADPH oxidase (NOX), which is one of the main sources of ROS could be a good therapeutic strategy. We have observed that the NOX-inhibitor apocynin (per os) partially ameliorates neuropathic pain symptoms and oxidative dysfunction in spinal cord in the spared nerve injury (SNI) model. In order to improve this therapeutic effect, we aimed at determining the specific NOX isoforms involved and evaluate the effect of intrathecal administration of specific inhibitors. Here we present the first task of the project, which aimed at evaluating redox dysfunction in spinal cord at early stages of peripheral neuropathic pain induced by SNI in Rat, and correlating that dysfunction to the animals’ pain behaviors. Three experimental groups were constituted: SNI, sham-operated and naïve rats. Paw responses to mechanical (von Frey and pinprick tests) and cold stimuli (acetone test) were evaluated at 1, 3, 7 and 14 days after surgery. At these timepoints, rats were sacrificed and their spinal cords were collected and immunoreacted for DNA oxidative damage and peroxynitrite markers. Unlike sham animals, whose behavior was identical to naïve, SNI animals showed mechanical and cold allodynia and mechanical hyperalgesia in the ipsilateral hindpaw during the study. However, both SNI and sham animals exhibited similar levels of oxidative and nitrosative damage, which differed from oxidative levels presented by naïve animals. It is likely that the development of neuropathic pain in SNI animals is not accompanied by spinal redox dysfunction, at least up to 14 days after induction. These differences might be explained by the distal location of the nerve injury in the SNI model, which is different from the injury location in other animal models where spinal oxidative stress has been described. Considering that the behavioral results obtained show that SNI and sham surgeries cause different levels of sensitization in these animals, we believe that neuropathy duration should be extended in future studies. Redox status evaluation with different markers should also be performed, to elucidate whether ROS are indeed involved in this sensitization and to identify which reactive species (if any) are involved, as well as their source
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.22/1120
Aparece nas colecções:ESTSP - DM - Tecnologia Bioquímica em Saúde

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
DM_RaquelSousa_2012.pdf2,01 MBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.